domingo, 19 de agosto de 2012

“Ex-Marido, Pai Presente”


Obra ensina pais a enfrentarem a alienação parental, considerada crime desde 2010 no Brasil
 Por Maria Cláudia Santos
A alienação parental é considerada crime no Brasil desde 2010, mas, nem por isso, deixou de ser praticada. Apesar da ameaça de punição, é crescente o número de mulheres que ainda afastam os filhos deliberadamente do ex-companheiro. Para tratar do tema, acaba de ser lançado o livro “Ex-Marido, Pai Presente – Dicas para Não Cair na Armadilha da Alienação Parental” (Mescla Editorial).
A autora, a terapeuta familiar Roberta Palermo, traz dicas de como evitar ou reverter essa prática, usada por muitas ex-mulheres para punir ex-maridos. “O objetivo da obra é fortalecer o pai, para que ele não permita que a mãe atrapalhe sua convivência com o filho depois do divórcio”, afirma.
Ao ser privada do convívio paterno, a criança, normalmente, apresenta problemas físicos e emocionais. “O pai, impotente e com medo de piorar ainda mais a situação, acaba cedendo aos desmandos da mãe, que manipula o filho”.
Sempre as mães
Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que as mães, estatisticamente, têm mais chance de cometer esse tipo de crime. Elas detêm a guarda dos filhos em 87,3% dos casos de separação, segundo o IBGE.  
Ainda segundo o instituto, cerca de 1/3 dos filhos perde contato com os pais, sendo privados do afeto e do convívio com o genitor ausente. “A Justiça brasileira costuma superproteger a mãe, em detrimento do pai, que vai perdendo a convivência com os filhos aos poucos, até que ela cessa”, explica Palermo.
A boa notícia é que a divulgação do tema e a definição da alienação parental como crime ajudaram a esclarecer famílias e especialistas que lidam com crianças que são manipuladas para romper os laços afetivos com o outro cônjuge depois da separação.
“Psicólogos, terapeutas, psiquiatras, advogados, conselhos tutelares e juízes – responsáveis pelas decisões finais nos processos que acabam nos fóruns de família – agora são capazes de conduzir o assunto com muito mais critério”.
CategoriaComportamento